Júri de homem acusado de matar Elias Maciel é adiado

Uma testemunha da defesa ainda não foi intimada

O julgamento de Walas Negrete dos Santos, que confessou ter matado Elias Maciel em 21 de dezembro de 2012, aconteceria hoje no fórum de Sorriso, mas foi adiado diante da falta de notificação de uma testemunha de defesa. O júri foi remarcado para o dia 17 de agosto.

Elias foi morto a facadas em sua residência, na rua Santa Carmem, no bairro Taiamã, em Sorriso. A promotora Maysa Fidelis Gonçalves Pyrâmides reitera que o Ministério Público confirma acusação feita na denúncia de homicídio duplamente qualificado por meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima.

“Foram pelo menos 15 golpes de faca de forma cruel, reiterada e que deixou a vítima em constante sofrimento até agonizar com o resultado morte. O MP vai pedir aos jurados a condenação do réu nas duas qualificadoras. A vítima era uma pessoa muito querida, participativa na sociedade e ocupava um cargo público e a repercussão social foi enorme”, frisou.

Conforme a promotora, no júri serão exploradas todas as provas dos autos para que os jurados entendam os lados do MP e da defesa. “Será um trabalho detalhado para que ao final se consiga obter o resultado, que é a condenação”.

A acusação, de acordo com a promotora, foi baseada em laudos técnicos e informações de testemunhas.

Motivação ainda não revelada

Quatro anos após o crime, Walas Santos foi preso pela Polícia Civil em setembro de 2016. Na época, ele confessou o crime, mas não revelou a motivação.

O advogado João Carrara disse a defesa vai construir as teses com base no interrogatório do suspeito.

“E em cima do primordial, que seria a motivação do crime. Ele tem muita dificuldade de falar dessa motivação, que a gente acredita que seja o “x” da questão, tanto para a defesa quanto para a acusação, já que até hoje isso não ficou esclarecido e isso é primordial para um julgamento justo. Ele admite ter ficado com o Elias uma única vez antes desse episódio”.

Conforme o advogado, a esposa de Walas informou que eles residiam em Sorriso há menos de uma semana após o crime ocorrer.

“Para a esposa, ele disse que foi ao local para beber, mas em juízo falou que foi para manter relação sexual mediante pagamento de R$ 50. Ele declarou que adormeceu na casa e, posteriormente, acordou com o Elias sobre ele, seminu. E ele não consegue falar mais, não consegue avançar. Disse que só lembra disso e que entraram em vias de fato e apanhou a faca e perfurou o Elias. Ele disse recordar-se de duas facadas. Acreditamos que vamos conseguir um bom trabalho e uma tese de crime dominado pela violenta emoção”.

O homicídio

Walas Santos, hoje com 28 anos, estava foragido e foi localizado em Itaúba. Ele estava com um mandado de prisão preventiva expedido pela comarca sorrisense e veio recambiado. Durante entrevista, o suspeito confessou ser o assassino do vereador.

Fonte:Portal Sorriso